Como NÃO liderar geeks

Como sabem migrei os comentários para o disqus ( aliás, deus uns bugs divertidos, como comentários tendo sido feitos a 46 anos atrás KKKK ), e acabei caindo em um post antigo em que eu divulgava um post do Cesar Cardoso, sobre como liderar geeks.

Muita gente ao longo da vida deixa de ser 'geek', mas eu acho isto meio impossível. É meio como ser nerd, meio como ser banger, se você é uma vez na vida, sempre será.
Mas a matéria abaixo já não tem seu endereço original ( infelizmente o Cesar Cardoso matou o antigo blog dele ), mas eu recupero este post que é algo 'muito importante' para a maioria dos gestores que não tem nenhuma noção de como gerir estas criaturas estranhas chamadas 'geeks'.

Prólogo 

Este artigo é uma tradução do post How NOT to lead geeks, publicado por Alexander Kjerulf, executivo-chefe de felicidade do projeto Happy at Work (e que não usa PowerPoint nas suas apresentações!), no seu blog Positive Sharing. Numa sessão de mergulho intensivo em Chico Buarque, num sábado de junho em Curitiba, fiz a primeira tradução do artigo. Yves Junqueira, Gustavo Noronha ‘kov’ Silva, Leandro Santoro, Fernanda Alves Chaves e Roberto Salomon leram esse primeiro draft, muito obrigado de coração a vocês todos; especialmente Yves, Leandro e Roberto, que fizeram correções importantes. O próprio Alex Kjerulf apoiou a idéia da tradução, me concedendo a autorização. Tentei manter ao máximo a formatação original. Os links estão em inglês.

Como NÃO liderar geeks (em inglês: How NOT to lead geeks)

Quando os geeks da NCR Austrália ameaçaram entrar em greve, foi uma movimentação que poderia paralisar ATMs, caixas de supermercado e máquinas de check-in nos aeroportos. Este fato mostra que TI se tornou tão central em praticamente todas as corporações, que qualquer paralisação poderá custar muito tempo e dinheiro, o que significa também que manter os geeks felizes no trabalho é obrigatório nas empresas modernas. Geeks felizes são geeks eficientes.

A principal razão da infelicidade do pessoal de TI no trabalho é a má relação com a gerência, às vezes porque geeks e gerentes têm personalidades, origens profissionais e ambições muito diferentes.

Algumas pessoas chegam à conclusão que geeks odeiam gerentes e são impossíveis de liderar. A expressão “administrar geeks é como pastorear gatos” (N.T: do inglês “managing geeks is like herding cats”) é usada às vezes, mas está errada. O fato é que o pessoal de TI detesta gerenciamento ruim e tem menos tolerância com relação a isso que outros empregados.

Então, o que deu errado? Eu iniciei como um geek e me tornei líder e fundador de uma empresa de TI, então tive a sorte de estar dos dois lados do balcão. Aqui estão os 10 maiores erros que vi gerentes fazerem ao liderar geeks:

1- Ignorar o treinamento

Uma vez tive um chefe que disse que “treinamento é jogar dinheiro fora, estude por si mesmo”. Esta empresa quebrou 2 anos depois. Treinamento é importante, especialmente em TI, e gerentes devem reconhecer e alocar os fundos para isto. Às vezes vem o argumento de que “se eu treiná-los um competidor irá contratá-los”. Talvez seja verdade, mas por outro lado, a outra alternativa é possuir apenas empregados despreparados, incapazes de trabalhar em qualquer outro lugar.

2- Não dar o reconhecimento

Já que gerentes não entendem bem o trabalho feito pelos geeks, é difícil para eles reconhecer e recompensar um trabalho bem feito, o que compromete a motivação. A solução é trabalhar juntos para definir objetivos que ambos os lados concordem. Quando esses objetivos forem alcançados, os geeks estão fazendo um excelente trabalho.

3- Planejar muita hora extra

"Vamos puxar o máximo de trabalho de nossos geeks, afinal eles não têm vida", parece ser a abordagem de alguns gerentes. É um grande erro e geeks que trabalham demais ficam improdutivos ou simplesmente vão embora. Em um caso famoso, um jovem trabalhador em TI teve um ataque causado por stress, foi hospitalizado, retornou ao trabalho logo depois e logo teve outro ataque. Este post examina mais a fundo o mito de que longas horas de trabalho é bom para os negócios.

4- Usar "gerentês"

Geeks odeiam "gerentês" e vêem como superficial e desonesto. Gerentes não devem aprender a falar "nerdês", mas devem deixar de lado os buzzwords de negócios. Um gerente pode dizer "Devemos agir de forma proativa com o objetivo de otimizar nosso time-to-market" ou simplesmente usar português e ficar com "Precisamos estar em dia com esse projeto".

5- Tentar ser mais esperto que os geeks

Quando gerentes não sabem nada sobre uma questão técnica, eles simplesmente devem admitir isso. Os geeks irão respeitá-los por isso, mas não por enrolar. E eles vão descobrir - geeks são espertos.

6- Agir de forma inconsistente

Geeks têm um profundo senso de justiça, provavelmente isto está relacionado com o fato que, em TI, estrutura e consistência são elementos críticos. A documentação não pode dizer uma coisa enquanto o código diz outra, e, da mesma maneira, gerentes não podem dizer uma coisa e fazer outra.

7- Ignorar os geeks

Uma vez que gerentes e geeks são tipos de pessoas diferentes, os gerentes podem acabar deixando os geeks sozinhos. Isto torna a liderança sobre eles um ato difícil, e geeks precisam de boas lideranças, como todos os outros grupos.

8- Tomar decisões sem consultá-los

Geeks normalmente dominam o lado técnico do negócio melhor que o gerente, então tomar uma decisão técnica sem consultá-los é o maior erro que um líder pode cometer.

9- Não lhes dar as ferramentas necessárias

Um computador rápido pode custar mais que um mais antigo e talvez não siga o padrão da empresa, mas geeks usam computadores de maneira diferente. Um computador lento diminui a produtividade e é uma chatice diária, tal como um software antigo. Dê-lhes as ferramentas que precisam.

10- Esquecer que geeks são trabalhadores criativos

Programação é um processo criativo, não industrial. Geeks devem constantemente trazer soluções para novos problemas e raramente resolver o mesmo problema duas vezes; entao é necessário liberdade e flexibilidade. Códigos rígidos de vestimenta e muitas normas matam toda a inovação. Eles precisam também de estarem em um ambiente criativo para evitar a "morte pelo cubículo".

Cometer um ou mais desses 10 erros (e eu já vi gerentes cometendo os 10 erros) tem sérias conseqüências, incluindo:

Baixa motivação
Alta rotatividade de empregados
Aumento de faltas (justificadas)
Baixa produtividade
Baixa qualidade do trabalho
Serviço prestado de forma indesejável
Geeks felizes são geeks produtivos, e o fator mais importante é boa administração, adaptada para a situação.

Apenas para esclarecer:

Não estou dizendo que todos os geeks são os mesmos. Geeks são extremamente diferentes entre si e este post comete uma perigosa generalização.
Não estou dizendo que todos os trabalhadores em TI são geeks. Uns são, outros não. Eu definitivamente fui um.

comments powered by Disqus